Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Esporte -

Relembrando a história do Azulão do Sul

Romes Xavier

Um dia desses conversando com o Presidente da FGF, André Pita, recordávamos as participações do Goiatuba Esporte Clube no Campeonato Goiano e o sucesso que o time fazia jogando as competições regionais e algum sucesso também nacional. Recordamos que o Goiatuba de 1988 até 1995 era competitivo e entrava para ganhar. Foi terceiro colocado no campeonato disputando o quadrangular de 88 com Atlético (Campeão), Goiás e Anápolis.

Naquele ano já dava mostras que poderia conquistar um titulo em breve. Foi quarto colocado no ano seguinte e também em 1990. Com o carioca Serginho no ataque do time ao lado de Bill, que virou o artilheiro da equipe com 13 gols, o time estava ganhando força e estrutura para conquistar o grande titulo da sua história. Campeão Goiano de 1992. Com: Marola, Claúdio, Luiz Carlos, Bilzão e Sérgio Luiz; Fernandão, Cachola, Adilson e Lenilson; Pirata e Estrela e muitos outros craques que fizeram parte da história do time dei Orlando Pereira, o eterno Orlando Lelê, que quando jogador do Vasco da Gama foi por várias vezes convocado para a Seleção Brasileira.

Só para relembrar, em 1973 o Goiatuba comandado por Zé Borracha e Esquelete, foi terceiro colocado do Campeonato Goiano. O titulo foi decidido por Vila Nova (campeão) e Goiás (vice). O Atlético foi quarto colocado. Só para matar a saudade de um dos mais tradicionais clubes do futebol goiano. Hoje está dormindo, mas acordará muito em breve.

Goiás: A última bala de Rassi

Ao trazer o técnico Argel Fucks para o lugar de Silvio Criciúma, o Goiás estará queimando mais uma etapa no fracassado brasileiro da equipe, pelo menos por enquanto e mais um cartucho será queimado para se salvar na série B.

Silvio Criciúma não deu o resultado esperado no comando do time esmeraldino, ficou muito longe do técnico que foi campeão goiano. Após a terceira derrota seguida, a diretoria agora aposta no quinto treinador do ano. Começou com Gilson Kleina, passou no Silvio Criciúma, iniciou o brasileiro com o Sérgio Soares e voltou ao Criciúma. Agora, Argel Fucks, 43 anos de idade, que teve uma carreira muito mais vitoriosa como jogador, do que propriamente como técnico será o novo comandante das feras esmeraldinas.

Como jogador atuou em alguns grandes clubes do Brasil e da Europa com vários títulos conquistados: Internacional, Porto e Benfica em Portugal, Santos e Palmeiras em São Paulo. Como técnico passou por equipes menores (Campinense, América/RN, Guarani/SP, Avaí, Criciúma e Portuguesa) e pelo menos quatro times com uma certa expressão nacional: Internacional, Figueirense, Vitória e agora o Goiás.

Argel Fucks pode ser considerado da nova geração de treinadores brasileiro com perspectivas de crescimento, mas ainda precisa provar que tem condições de chegar a um posto mais elevado na condição de técnico. O Goiás ao longo da história conseguiu dar projeção a treinadores e jogadores que chegaram com a desconfiança da imprensa e dos torcedores. E depois ganharam projeção nacional.

Podemos dizer que o Goiás só tem mais “uma bala” e não pode errar. O tiro agora tem que ser certeiro, pois time está muito próximo da zona de rebaixamento e a missão é ficar longe desse Z-4. O presidente Sérgio Rassi caiu no “conto da Carochinha” ao acreditar que os jogadores cumpririam o prometido. Dar a vida em campo nos próximos jogos se o time permanecesse com o Silvio Criciúma e afirmaram ainda que tomariam uma atitude dentro da competição. Ledo engano! O time não teve nenhuma atitude, pelo contrário, foram quatro jogos e três derrotas.

O presidente acreditou em quem não podia acreditar. Nos jogadores. Eles já provaram que não são de confiança. A prova maior foi quando fizeram corpo mole para derrubar o técnico Sérgio Soares. Porque ele era linha dura. Mas como esses jogadores se comportarão com um técnico também tido como linha dura? Será que Argel Fucks também estará com os dias contados? Só o tempo dirá.

Mas posso afirmar que o novo treinador terá muitas dificuldades para dar um novo rumo para o Goiás. Agora é remar muito para ultrapassar quem está á frente e andar muita estrada para alcançar os primeiros colocados. Já tem times com mais de 10 pontos de frente.

VILA NOVA CAIU DE RENDIMENTO

O Vila Nova perdeu duas posições, depois de duas derrotas seguidas no brasileiro da série B. Perdeu por 2x1 para o Paissandu e 1x0 para o Santa Cruz. Foram seis pontos perdidos que valeram a quarta posição. O time caiu para a sexta. Precisa voltar a vencer e continuar pensando em acesso.

A maior dificuldade do Vila Nova será equipe para brigar e pode ainda esbarrar na condição financeira. O Vila Nova talvez seja uma das poucas equipes brasileiras que necessitam de sua torcida para arrecadar. O grupo mostrou no jogo contra o Santa Cruz que é pequeno e o técnico Emerson Maria já começa a ter problemas para escalar o time na competição. No jogo da Arena Pernambuco o treinador levou somente dois atacantes para o banco dos reservas, Thiago Dan e Matheus Anderson. Os demais eram defensores, já que não tinha também muita opção, principalmente para o meio campo. Ou seja, jogadores para a meia de ligação. Tanto que na escalação do jogo foram feitas duas improvisações no meio ( Heitor e Léo Rodrigues).

Agora, se não conseguir vencer o Internacional no Serra Dourada, o sonho de classificação para a série A em 2018, ficará muito mais distante. O pior inimigo do Vila Nova serão esses jogos com portões fechados. Sem o apoio da torcida o time perde o incentivo e pode deixar os adversários numa situação de jogar em campo neutro. Muito ruim!

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior