Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Edeia -

Aluna da UEG de Edéia lança Projeto RRROC

Aluna da UEG de Edéia lança Projeto RRROC


Por: Vilma Pontes Lacerda
O destino dado ao óleo de cozinha usado, se não for de maneira correta, pode prejudicar o meio ambiente provocando consequências graves. Preocupada  com a maneira como é feito esse descarte,  a estudante do 2º Ano, do Curso de Agronegócio, da UEG-Edéia, Cíntia Reis, resolveu elaborar o Projeto RRROC - Reduz, Recicla e Reutiliza Óleo de Cozinha com o objetivo de aproveitar esse óleo que o cidadão joga fora, de forma que venha trazer benefícios ao meio ambiente e à população. Depois de observações realizadas pela estudante, ela verificou que muitos domicílios, bem como restaurantes, lanchonetes, bares, escolas e outros jogam o óleo utilizado na cozinha direto na rede de esgoto, desconhecendo os prejuízos dessa ação. Independente do destino, esse produto prejudica o solo, a água, o ar e a vida de muitos animais, inclusive do homem.

Quando retido no encanamento, o óleo causa entupimento das tubulações e faz com que seja necessária a aplicação de diversos produtos químicos para a sua remoção. Se não existir um sistema de tratamento de esgoto, o óleo acaba se espalhando na superfície dos rios e das represas, contaminando a água e matando muitas espécies que vivem nesses habitats.

Dados apontam que com um litro de óleo é possível contaminar um milhão de litros de água. Se acabar no solo, o líquido pode impermeabilizá-lo, o que contribui com enchentes e alagamentos. Além disso, quando entra em processo de decomposição, o óleo libera o gás metano que, além do mau cheiro, agrava o efeito estufa. Para evitar que o óleo de cozinha usado seja lançado na rede de esgoto ou tenha outro destino prejudicial,  Cíntia Reis, seguindo vários outros setores que já acordaram para a problemática, resolveu conclamar a população de Edéia, o comércio local, escolas, enfim, todos os seguimentos da sociedade para, em uma salutar parceria, tornar possível e viável a reciclagem desse produto, pois, as possibilidades são muitas, como: produção de resina para tintas, sabão, detergente, glicerina, ração para animais e até biodiesel, porém, a ideia é começar pelo mais simples que é a fabricação do sabão de barra e sabão líquido (detergente), o que não exclui a possibilidade de viabilizar outros destinos saudáveis para o óleo usado. Os sabões produzidos serão aproveitados nas escolas e em várias outras situações de forma a atender a população. E para início dessa ação, a estudante estará nas escolas, expondo seu projeto, que já conta com o apoio do Prefeito Elson Tavares, do Secretário do Meio Ambiente Orestes Cândido de Lacerda e da Secretária da Educação Eneuda Ferreira, que entenderam ser um projeto interessante diante dos benefícios que poderá trazer e Cíntia também, estará aberta às parcerias que espera conquistar. Serão colocados garrafões para a realização da coleta do óleo usado, em locais estratégicos, como: escolas, restaurantes e outros, futuramente divulgados. Quem se interessar tornar parceiro ao projeto, é só entrar em contato com Cíntia Reis, através do telefone: (64) 8147-7504. De acordo com Cíntia, “O sucesso desse tipo de projeto depende inteiramente da participação da comunidade. O projeto oferece todas as informações necessárias para a reciclagem do óleo e também esclarecimentos sobre proteção ambiental, com o objetivo de inserir a sociedade na responsabilidade ecológica”, finalizou a estudante.

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior