Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Regional -

Agrodefesa alerta pecuaristas para vacinação de bezerras contra brucelose

Todos os criadores de bovinos e bubalinos devem imunizar as fêmeas de três a oito meses de idade contra a brucelose. O alerta é da Agência Goiana de Defesa Agropecuária, conforme determina a Instrução Normativa nº 3/2018, que dispõe sobre o processo de vacinação contra brucelose no Estado de Goiás, em atendimento às diretrizes do Regulamento Técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose, instituído pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A previsão da Agrodefesa é que neste semestre sejam imunizadas 1,2 milhão de bezerras bovinas e bubalinas.

O gerente de Sanidade Animal da Agrodefesa, Antônio do Amaral Leal, explica que o prazo de vacinação neste semestre vai até 31 de maio. Já no segundo semestre, o prazo vence em 30 de novembro. A imunização deve ser realizada por médico veterinário, que é responsável também pela emissão do receituário para compra da vacina. Esses profissionais precisam estar cadastrados na Agrodefesa, com atualização anual. As vacinas indicadas são a B19 ou a RB51, que devem ser adquiridas em estabelecimentos comerciais registrados na Agência.

Providências - Os pecuaristas devem estar atentos não apenas para a vacinação. É obrigatório, após a imunização, apresentar na Agrodefesa o atestado de vacinação juntamente com a Nota Fiscal de compra da vacina, o que pode ser feito pelo criador ou pelo veterinário responsável, nos escritórios da Agência do município onde está localizada a propriedade. Isso precisa ser feito dentro de 30 dias após a compra da vacina.

Ao realizar a imunização, a bezerra deve receber um carimbo do lado esquerdo da cara, com dígito do ano de vacinação, quando usada a B-19. Se o criador optar pela RB51, a fêmea deve ser identificada com a letra V também no lado esquerdo da cara. Vale lembrar que as vacinas devem ser adquiridas para a propriedade específica, isto é, se o criador tiver fazendas em municípios distintos, terá de fazer aquisições para cada uma delas.

Os produtores que deixarem de vacinar as fêmeas contra a brucelose estão sujeitos a punições como multas e restrição da movimentação de animais da propriedade. Por cabeça de bezerra não imunizada, a multa é de R$ 7,00, além da obrigatoriedade da vacinação assistida da Agrodefesa.

Também quem deixar de entregar o atestado de vacinação no prazo de 30 dias após a compra das vacinas é multado em R$ 300,00. O gerente Antônio Leal explica que a regularidade da vacinação é da propriedade. Isso significa que se não imunizar e/ou deixar de apresentar o atestado no prazo hábil, todos os animais da propriedade (mesmo adultos) ficam impedidos de serem movimentados. A mesma medida é aplicada para o caso das fêmeas não vacinadas, que ficam impedidas de movimentação.

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior