Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Esporte -

Para não dizer que não falei das estrelas

Romes Xavier

Ao longo da história o Goiatuba, nosso glorioso Azulão do Sul, teve várias estrelas no cenário goiano, nacional e internacional. A nossa maior estrela não vestiu a camisa do Azulão, Anderson da Silva, ou simplesmente Sonny Anderson, filho de Da Silva, ex-jogador de futebol e ex-técnico do Goiatuba, no fim da década de 70 e inicio de 80.

Formado nas categorias de base do XV de Jaú, atuou em grandes clubes europeus como Olympique de Marseille, Mônaco, Barcelona, Olympique Lyonnais e Villarreal. Com a Seleção Brasileira, participou da Copa das Confederações de 2001. Sonny Anderson nasceu em Goiatuba, em 19 de setembro de 1970, quando o seu pai chegou para jogar no mesmo ano, na primeira equipe do Azulão do Sul (Goiatuba foi fundado em 5 de maio de 1970). Anderson cresceu jogando futebol no campo do Cruzeirinho e também no gramado do Estádio Divino Garcia Rosa, ao lado dos amigos e irmãos.

O maior incentivador de Andesron, além do pai, foi o irmão Toninho, que era outro craque da família Silva. Teve destaque na Portuguesa no Campeonato Paulista de 1985, vencido pelo São Paulo por 3x1. Tive o prazer de transmitir esse jogo pela Rádio Goiatuba (1510 AM). Fui repórter do narrador Augusto Mesquita. Quem comentou o jogo foi Luciano ex-goleiro do Goiatuba. Estava de férias e foi nosso convidado. Toninho ainda jogou no Flamengo, seleção brasileira e encerrou a carreira jogando no futebol Japonês.

Agora vamos falar de duas estrelas que ainda brilham em Goiatuba: Rubinho e Estrela. Ninguém protegia uma bola e tinha tanta habilidade como Rubinho. Conversa macia e bom sujeito. Um grande amigo. Jogou ao lado de Raí, no Botafogo de Ribeirão Preto (SP) e só não foi mais longe no futebol porque era muito amigo de João Paulista. Joãozinho mora hoje em Maceió/AL e gostava do noite e levava Rubinho junto. Aí deu no que deu.

Agora Estrela, nossa grande estrela na conquista do Campeonato Goiano de 92. Magrinho, liso, habilidoso, visão de jogo, domínio, passes precisos e finalizador de qualidade. O nosso grande craque, lembrado todos os dias para quem vivenciou a maior conquista do Azulão do Sul, um dos maiores times já formados no futebol goiano. Campeão de 1992 vencendo Goiás, Vila Nova e Atlético em todos os jogos, ida e volta. Falo desses três craques da bola, para não dizer que não falei de nossas estrelas.

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior