Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
De Olho Aberto -

De Olho Aberto

Goiatuba


Acontece – Hoje na Agência do SEBRAE Oficina de Planejamento. O evento visa melhorar a capacitação dos empreendedores e aproximá-los dos organismos sociais e do poder público.

Gênio – Tostão (ex-craque de futebol) escreveu na Folha de São Paulo: “os jovens brasileiros são muito endeusados, antes da hora. Ganso é um excelente jogador. Mas parece que isso não basta. Ele tem que ser gênio. E estes são raríssimos. Quanto maior a expectativa, maior a frustração”.

Nas ondas – Vereador Cleiton Camilo (PMDB), em recente programa de rádio comprou a briga dos servidores da FAFICH afirmando que a atual situação da instituição não é herança de administrações anteriores.

Nas ondas I – Cleiton se preocupa com a situação por ter muitos amigos e eleitores no grupo, mas os últimos meses não foi ele que administrou a instituição.

Nas ondas II – Durante o programa Cleiton recebeu inúmeros elogios dos ouvintes que ligaram para a emissora, servidores e não servidores. Prova de que o moço fez um bom trabalho e conquistou amigos enquanto esteve na presidência da FESG.

Nas ondas III – O vereador disse que em recente visita à FESG/FAFICH teve oportunidade de conversar com o atual presidente, sr. Ataulfo que o agradeceu por tudo que fez na instituição durante o tempo que presidiu aquela instituição.

Nas ondas IV – Por conta da participação do sr. Abraão Neto em recente programa de rádio o tempo fechou lá na FAFICH. Só não sobraram sopapos porque a turma do deixa-disso entrou no meio e apaziguaram os ânimos.

Nas ondas V – Abraão Neto criticou o fato de alguns mestres terem feito seus estudos no Paraguai, o que não agradou a alguns criando um clima pesado na instituição.

Nas ondas VI – Vale lembrar que os certificados obtidos naquele país não são contrabandeados. São obtidos por meios lícitos, apesar de não serem validados, ainda, em nosso país.

Nas ondas VII – Só para o conhecimento do sr. Abraão Neto: o Paraguai não produz só coisa ruim não, lá existem ótimas instituições de ensino e entre outras coisas boas originárias do país vizinho, estão os pneus comercializados em larga escala no nosso país.

Nas ondas VIII – O vereador Joãozinho do Foto tentou justificar o injustificável. É que o não repasse dos valores consignados em folha dos servidores municipais aos bancos começou na gestão anterior, da qual ele fez parte.

Nas ondas IX – Por conta do não repasse, muitos servidores estão com o nome inscrito nos serviços de proteção ao crédito, inclusive este pequeno escriba.

Nas ondas X – Um dos vereadores presentes no programa de rádio certamente não gostou do que ouviu. Alguns ouvintes (anônimos) ligaram para acusa-lo de comprar votos. O que o eleitor não sabe (?) é que quem vende o voto é tão corrupto quanto quem compra, inclusive respondendo pelo mesmo crime.

Fafich – Enquanto a discussão sobre de quem é a culpa da atual situação da FAFICH toma rumos diversos, professores e servidores contratados continuam sem receber o que é de direito.

Fafich I – É triste ver uma instituição tão preciosa como a FAFICH ser tratada com tanto descaso. Os gestores não conseguem ver o próprio umbigo. São importantes demais pra abaixarem a cabeça.

SMT – Só para não fugir da rotina. Cadê a SMT de Goiatuba? O transito continua caótico, se bem que ajudado pelos buracos nas ruas. Estacionar nas imediações dos bancos é missão impossível. E a zona azul nada.

SMT I – A rotatória na avenida Minas Gerais, que dá acesso ao Loteamento Juca da Luiza, no alto da cidade não tem sinalização e os motoristas que sobem a avenida simplesmente ignoram a rotatória, pregando alguns sustos nos menos atentos.

Tá na web I – Primeiro foram os vídeos do “dossiê laranja”, agora são os vídeos do “dossiê azul”, quando chegar no “dossiê arco-íris” avisem aos grupos GLBT’s e aí, sim, teremos alguma coisa interessante na cidade.

Tá na web II – Só pra saber. Os acordos acertados nas reuniões divulgadas pelos vídeos estão sendo cumpridos por ambas as partes?
Bem vindos a Lua – Se você quiser saber como é a superfície lunar não precisa ser nenhum Aldrin ou Armstrong, nem tampouco o astronauta Marcos Pontes. Basta percorrer algumas ruas de Goiatuba.


Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior