Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Goiatuba -

Saúde mantém atenção contra Aedes Aegypti

A Secretaria de Saúde de Goiatuba mantém atenção absoluta no combate e controle do mosquito Aedes Aegypti que atualmente tem deixado todo o Brasil em pânico. É que o mosquito que antes transmitia apenas a dengue, agora transmite a Febre Chikungunya e a última novidade é o Vírus Zika que provoca uma série de doenças graves nas pessoas que são contaminadas.

Dentro deste objetivo, a Secretaria criou um planejamento estratégico que está alcançando toda área do município. O trabalho consiste em promover palestras em escolas, igrejas e empresas, distribuição de material informativo, borrifação em pontos estratégicos, visitas domiciliares e a empresas, recolhimento de pneus e manejo ambiental.

Segundo o secretário de Saúde João Batista Borges, o Joaozinho do Foto, as equipes do Departamento de Endemias estão trabalhando diuturnamente no combate ao mosquito e o objetivo é evitar que o sistema de saúde fique sobrecarregado como no período chuvoso de 2014/2015, onde uma epidemia de dengue contaminou centenas de pessoas levando algumas a óbito.

Joãozinho ressaltou que, “o prefeito Fernando Vasconcelos determinou que a Secretaria evidenciasse todos os esforços no sentido de não deixar que a população viva outra epidemia da doença, onde o sistema de saúde ficou sobrecarregado e ainda perdemos algumas vidas”, contou.

O secretário revelou que a Secretaria está desenvolvendo a campanha “Goiatuba, uma cidade sem dengue”, onde todos estão envolvidos na conscientização das pessoas em todas as faixas etárias no sentido de transformar cada cidadã num soldado nessa guerra contra o mosquito.

Para Joãozinho, além do apoio incondicional do prefeito Fernando Vasconcelos, tem sido fundamental o empenho de toda equipe que não mede esforços no combate ao mosquito. “Estamos todos concentrados nessa guerra, precisamos do apoio e participação de toda comunidade, cuidando de seus quintais, vasos de plantas, calhas e qualquer recipiente que possa servir de criadouro para o mosquito”, concluiu.

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior