Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Goiânia -

Presos mais dois integrantes do "novo cangaço"

A Polícia Civil, por meio do Grupo Antirroubo a Bancos (GAB), realizou nesta quarta-feira (26/10) apresentação de uma associação criminosa especializada em roubo a banco e veículos de trans-portes de valores com atuação em diversos estados da federação.

Ricardo Avelino, de 22 anos, e Ronicleudo Patrício, 35, foram autuados pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, posse de artefato explosivo e associação criminosa. Eles podem pegar pena de até 17 anos de cadeia. Eles são suspeitos de realizar roubo a banco em Cavalcante, no dia 30 de junho. Também são apontados como participantes do “novo cangaço”.

O delegado titular da GAB, Alex Vasconcellos, afirma que a Polícia Civil apreendeu cinco pistolas, carregadores, munições, artefatos explosivos e quantia aproximada de R$ 176 mil enterrados em um tonel numa residência no Residencial Havaí, região noroeste de Goiânia. “Segundo eles confessaram, o dinheiro encontrado seria proveniente de crimes praticados anteriormente”, afirma o delegado.

A associação criminosa, segundo o titular da GAB, possui conhecimento e equipamentos suficientes para explodir diversas agências bancárias e carros-fortes. “Também chama a atenção que eles não ostentavam o dinheiro do crime. Era tudo aplicado em imóveis, carros e terrenos”, aponta.

Naturais de Barreiras, interior da Bahia, os criminosos estavam em Goiânia há um mês. Alex Vasconcellos afirma que eles já planejavam realizar outro assalto a banco, no interior do Estado. “Os indícios apontam que, em breve, iriam realizar outro assalto. Eles não iriam fazer em Goiânia, mas em alguma cidade do interior”, relata.

Os dois criminosos agiam de forma agressiva. “A violência é uma característica empregada por esta associação”, resume Vasconcellos. “Ronicleudo, inclusive, já havia sido autuado na Bahia por tentativa de sequestro”, reforça. “A gente vê que o modus operandis era extremamente violento”, pontua.

O titular da GAB ainda reforça que a associação criminosa possui mais membros. “A PC segue com as investigações a fim de desmantelar o grupo por completo”, conclui.

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior