Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Miguel Patrício -

Odisseia dos Buracos

Quando ouviu, por mais uma vez, alguém reclamando dos inúmeros buracos que assolam as ruas de nossa cidade, um amigo amenizou o problema, demonstrou paciência com relação ao caso e, ainda mais, partiu em defesa das cavidades existentes nas vias e no mundo. Sua contestação foi mais ou menos assim:

Segundo ele, buracos existem desde a criação do mundo e são de suma importância para a vida, para todas as pessoas e, por isso, devem ser respeitados. Para começar, todos nascem de um buraco e, quando morrem, são inevitavelmente levados para outro. Sem os buracos que existem em nosso corpo, ficaríamos impossibilitados de ver, ouvir, respirar, comer, de fazer xixi e cocô. Emendou ele que as cisternas ou poços sempre foram utilizados pelo homem para retirar a água necessária à sobrevivência e que grande parte dos animais vive ou se esconde de predadores em tocas, e longe desses buracos estariam perdidos.

Meu amigo foi ainda mais fundo no buraco, ou melhor, na argumentação. Lembrou a utilidade de todos os orifícios, desde os maiores até o minúsculo buraco do fundo de uma agulha. Revelou que só tem medo dos buracos na camada de ozônio e de ser sugado pela força gravitacional de algum buraco negro no espaço. Confessou que adora um jogo de cartas homônimo e que a cena mais bonita que ele viu foi através de um buraco de fechadura. Para florear, citou um pensamento do filósofo Aristóteles sobre o assunto: “No fundo de um buraco ou de um poço, acontece descobrir-se as estrelas”.

Por fim, meu amigo acrescentou que a irregularidade da malha asfáltica de nossa cidade dá lucro para as oficinas mecânicas e foi útil aos atuais administradores que, para ganharem as eleições, possivelmente prometeram tapar os buracos e, ademais, quando isso acontecer, muitos trabalhadores vão obter o seu sustento, o que não deixa de ser mais um mérito dos buracos. Aliás, esse momento está bem próximo, pois conhecemos nossos dirigentes. Se eles até agora não taparam os buracos das ruas é porque ainda estão tapando aqueles deixados no orçamento pelas gestões anteriores.

Então, quando pensar em criticar os buracos que existem por aí, lembre-se que essas aberturas são todas necessárias. O buraco é mais embaixo!

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior